Tião Viana e comitiva internacional avaliam programa de desenvolvimento sustentável

Autor: Arison Jardim

Foto: Sérgio Vale

O governador Tião Viana e sua equipe de governo reuniram-se nesta quarta-feira, 30, com representantes do Banco Alemão KfW e do governo do Reino Unido para avaliarem o projeto de desenvolvimento sustentável que realizam em parceria. O Programa Global REM (REDD Early Movers – pioneiros na conservação) é uma inovação iniciada no Acre em 2011.

A primeira fase do programa finalizou e com a assinatura do segundo acordo, realizada durante a Conferência das Partes (COP) 23, na Alemanha, governo e parceiro avaliam o processo realizado desde 2011. Durante a reunião, foram firmados novos ajustes para a execução da fase dois do projeto que leva economia sustentável e conservação para as comunidades do estado.

Christiane Ehringhaus, representante do KfW, avaliou como positiva o trabalho realizado até o momento. “A fase dois mantém o legado conquistado durante todos esse anos. Nós temos muito carinho por esse programa, os indicadores são ótimos”, disse Christiane ao governador.

Na primeira fase, foram investidos cerca de R$ 100 milhões na economia de base diversificada do Acre. Agora, serão aplicados cerca 115 milhões de reais. Além do KfW, o Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial do governo do Reino Unido (BEIS) fará parte da parceria.

O governador Tião Viana falou da importância desse modelo econômico sustentável que o estado pratica. “Os indicadores mostram um trabalho sólido no avanço social e econômico do Acre. Aqui, dizemos, enquanto sociedade, que não queremos destruir as florestas”, afirmou. O estado, nos últimos 20 anos, aumentou em 400% seu Produto Interno Bruto (PIB), e em 12 anos reduziu em 66% o desmatamento.

Programa pioneiro no Acre

O programa REDD Early Movers, REDD para pioneiros, é implementado no âmbito do Sistema Estadual de Incentivos a Serviços Ambientais (Sisa), que organiza de forma jurisdicional as atividades de compensação por boas práticas ambientais.

O Programa fornece pagamentos baseados em desempenho de redução de emissões de desmatamento verificadas, conduzindo um projeto piloto de REDD+ de acordo com as decisões assumidas na Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (CQNUMC).

Os investimentos foram destinados para o fortalecimento da agricultura sustentável (beneficiando 6.469 famílias), reservas extrativistas (beneficiando 3.000 famílias de extrativistas e seringueiros), comunidades indígenas ( 5.283 beneficiários), pecuária diversificada sustentável (beneficiando 2.085 famílias de agricultores) e fortalecimento institucional do Sisa.

A comitiva está agora no Acre também para visitar os novos projetos da fase dois, atividades da economia criativa (artesanato, gastronomia e design) e turismo de base comunitária. Ainda esta semana, os representantes tiveram na região do Juruá.

Ir para o topo