Embaixador da Alemanha chega ao Acre para discutir participação da Amazônia na COP23

O governador Tião Viana recebeu na manhã desta quinta-feira, 26, em seu gabinete, o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel. Convidado de honra para participar do 16° Fórum de Governadores da Amazônia Legal, o embaixador vem com a missão de acompanhar as parcerias do Acre com o país europeu, além de atuar na construção da participação dos estados presentes na próxima Conferência do Clima da ONU (COP23), que será realizada no próximo mês, na Alemanha.

O Fórum reúne gestores dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Entre os principais objetivos está a organização do Dia da Amazônia, evento especial dentro da COP23 que será definido pelos próprios estados amazônicos.

“Aqui no Acre, na Amazônia Legal, temos as maiores cadeias de florestas, a maior biodiversidade e as maiores reservas de água do mundo. Sem a Amazônia Legal, sem o Acre e seus países vizinhos, não podemos ganhar a luta contra a mudança do clima. Sem a preservação da Amazônia não iremos ganhar essa luta”, conta Witschel.

O governador Tião Viana ainda fez questão de lembrar que Acre e Alemanha possuem já uma ampla parceria ambiental e econômica. Com apoio e incentivo do governo do Estado, em parceria com o banco alemão KfW, por meio de diversos convênios,  várias famílias extrativistas no Acre conseguem aliar geração de renda com conservação da floresta, que é uma das frentes de atuação do programa REDD for Early Movers (REM).

Além do convênio com o KfW, o governo possui uma ampla parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Governo da Alemanha (GiZ) que possibilitou, por exemplo, a construção do Zoneamento Ecológico-Econômico, o Plano de Recursos Hídricos e o Sistema de Serviços Ambientais.

“Tenho muito respeito pela Alemanha, que defende boas ideias para o planeta no sentido de desenvolvimento sustentável e humanitário. Só aqui no Acre reduzimos em 34% o desmatamento ilegal no último ano. No acumulado dos últimos 10 anos, essa redução sobe pra 66%”, conta Tião Viana.

 

Texto: Samuel Bryan
Foto: Sérgio Vale

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *