Tião Viana defende que estados com economia verde tenham diferencial no mercado

O governador Tião Viana defendeu, durante o Encontro Anual da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF), realizado em Balikpapan, Indonésia, que os estados subnacionais que investem na conservação da natureza e no fortalecimento da economia sustentável tenham diferencial de mercado para que sejam efetivamente competitivos.

“Defendemos uma aliança entre as cadeias produtivas dos estados subnacionais para nos fortalecermos. Fazemos os maiores esforços para a conservação, mas os Estados Unidos e países da Europa parecem desconhecer a realidade e não olham para aquilo que produzimos”, disse o governador acreano.

A declaração de Tião Viana foi feita durante painel montado para debater economias verdes inclusivas, que contou com as participações de governadores, representantes de entidades governamentais e não governamentais e de parceiros financiadores de projetos que têm como foco principal a conservação da natureza, o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida das populações tradicionais.

“Para mantermos o ritmo de crescimento, precisamos de um olhar diferenciado. É muito importante que haja um selo de sustentabilidade para os produtos que têm certificação ambiental, a exemplo do Conselho de Manejo Florestal (FSC) para a madeira”, salientou Tião Viana.

O governador acreano destacou que o estado vem fazendo o seu papel, reduzindo o desmatamento e adotando a política de reflorestamento com o plantio de 10 milhões de árvores até o fim de 2018, mas destacou que os resultados serão melhores se houver um diferencial entre quem produz com sustentabilidade e aqueles que não seguem as regras ambientais.

“O que acontece hoje é que aquele vendedor que não tem a preocupação com a sustentabilidade é tratado igual a quem produz de forma sustentável e conservando”, completou.

Tião Viana destacou ainda que no Acre, o governo apostou num arranjo inovador envolvendo o público, o privado, o comunitário e o mercado para que haja a produção, gerando empregos, renda e desenvolvimento sustentável.

As cadeias produtivas de proteína animal como a piscicultura, suinocultura e avicultura, porém, necessitam de mais investimentos para se consolidarem. “Convidamos a todos vocês para nos visitarem. Verão que falta muito pouco para avançarmos ainda mais”, finalizou.

Ao final do painel, o governador convidou o diretor da Iniciativa Internacional sobre o Clima do Governo da Noruega, Per Pharo, para visitar o Acre e conhecer as experiências que vêm sendo desenvolvidas. O governo norueguês tem investimentos no Estado por meio do Fundo Amazônia.

 

Texto e foto: Leonildo Rosas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *